Quando fiquei sabendo que viria para França, a primeira coisa que me passou pela cabeça foi “Vou ao Louvre!” e a segunda foi “Vou aos lugares da Amélie!”… desculpem-me Torre Eiffel e Notre Dame, mas Amélie falou mais alto e forte na cabeça e no coração desta cinéfila…

Quando estava contando para minha amiga sobre a futura viagem, ela logo falou rápido e sorridente “vai aos lugares da Amélie!!!”…

Provavelmente, se você está lendo este texto é porque viu o filme e Amélie Poulain não precisa de apresentação. Mas como é de praxe começar com uma ligeira introdução, então: Amélie Poulain, vivida por Audrey Tautou, é a protagonista de ‘O Fabuloso Destino de Amélie Poulain’, um filme francês de 2001, muito “bonitinho”, que te prende logo nos primeiros minutos e assim segue até o final. Precisa de mais informação? Vai ver o filme! Também, por mais que eu esteja louca para falar mais sobre o filme, este texto tenta ser somente sobre os locais onde foram rodadas as cenas do filme, apesar de alguns spoilers apareceram.

Amélie foi quase todo rodado em Paris, o que é muito comum na França, e até mesmo no grande mercado hollywoodiano, que atravessa o oceano para fazer cenas ou filmes completos de grandes produções americanas, tais como o Código Da Vince, Inception (A Origem), O Diabo Veste Prada, Meia Noite em Paris, entre muitos outros.

Não há uma razão lógica ou única do porquê do fascínio dos fãs pelo filme de Amélie e porque os locais do filme são mais procurados que de outros filmes que passam em Paris! Ele simplesmente caiu no gosto do público e mesmo depois de mais de 15 anos, os locais que aparecem nele são muito procurados por pessoas do mundo todo.

Com a ideia fixa de percorrer os passos da mocinha, o início mais óbvio foi uma busca pela internet. Contudo, não foi fácil, pois as publicações encontradas na rede eram incompletas ou superficiais. Algumas somente cópias de coisas erradas.

Após muitas pesquisas e idas a muitos lugares interessantes, outros nem tanto, colecionando muitas fotos e um resultado satisfatório, seguem um roteiro bem completo para aqueles que desejam refazer os passos de Amélie, além de algumas curiosidades.

Nas fotos que seguem abaixo, as amarelas, que geralmente aparecem primeiro, são snapshots das cenas do filme, e as mais claras, que geralmente aparecem depois das do filme, são de autoria dos Amorecos Marzo Jr e Alexsandra.

 

Cabines Photomaton

photomatin

As cabines fotográficas da marca Photomaton são muito importantes para todo o roteiro do filme. Elas mudaram de aparência desde 2001, mas o conceito continua o mesmo: o cliente entra na cabine, deposita o dinheiro, a máquina tira uma ou algumas fotos e uma cartela com elas é disponibilizada quase instantaneamente.

Atualmente elas são encontradas somente em estações de metrô maiores, apesar de o filme dar a entender que elas estão em todas as estações de Paris.

Outro tipo de máquina Photomaton que aparece no filme é a máquina de xérox, com o mesmo mecanismo self service das máquinas fotográficas. Essas são bem mais raras e tive a oportunidade de ver algumas em prefeituras.

photomoton xerox do filme

As Estações de Metrô de Amélie

Vendo o filme, percebe-se que as estações de metrô (ou trem) que aparem são pelo menos cinco: Gare du Nord, Gare de l’Est, Abbesses, Lamarck-caulaincourt e uma outra não identificada.

 

Gare du Nord

É a primeira das estações do filme e uma das super estações de Paris. O local exato onde Amélie encontra um homem com um cachorro é facilmente localizado no interior da estação, mesmo ela sendo gigantesca e ter passado por reforma. Por ser um prédio histórico, passeios nas redondezas serão recompensados com vistas interessantes mesmo não tendo aparecido no filme.

Gare de l’Est

Também é grande e histórica. Ela é mostrada em cinco pontos diferentes: interior perto dos trens e no hall entre a porta e antes da área dos trens. Entradas da frente e as duas laterais. Então, deve ser percorrida por inteiro. Mas como ele não é grande e é bonita, isso não será problema.

Abbesses

Aparece somente do lado de dentro, perto do embarque para o metrô. Essa é onde Amélie segue à procura de uma música que está tocando e acaba conhecendo Nino. Ela é minúscula tanto por dentro quanto por fora. Apesar de o nome dela aparecer muito realçado no filme, me questiono se não houve montagem, porque a cena não parece casar com a realidade. Não porque não há Photomaton no local, mas as posições das entradas e escadas são diferentes. Há uma porta fechada lá indicando que atrás dela possa haver uma das escadas que aparece no filme. A visita não foi um passeio interessante. Eu descartaria.

gare abbesses

Lamarck-caulaincourt

Como Abbesses, não há muita coisa lá para ver ou fazer. Ela aparece rapidamente somente do lado de fora. É onde Amélie deixa o senhor cego e sobe as escadas correndo. O lugar não é bonito e cheio de vida como aparece no filme.

gare Lamarck-caulaincourt

A estação indeterminada

Há estações de metro em Paris muito parecidas uma com as outras. Dois tipos são muito recorrentes, um para aquelas subterrâneas, com os azulejos brancos, tipo Abbesses, o outro tipo é para as suspensas, que é o caso da nossa estação misteriosa, com estrutura de metal e alguns vidros. Definitivamente ela não é nenhuma destas estações: Bir-Hakeim, La Chapelle ou La Motte-Picquet Grenelle, pois elas são ligeiramente diferentes da que aparece no filme. Não sei se vale à pena ir à busca dela porque aparece tão pouco e rápido e como elas são todas pequenas e sem atrativos, parece uma perda de tempo em Paris que poderia ser aproveitado melhor.

Apartamento de Amélie

Há várias menções ao apartamento da Amélie na internet. Provavelmente todas são falsas (querendo lucrar com a fama do filme), ou mais de uma seja verdadeira. Esta última hipótese é muito comum nos filmes, que costumam fazer montagens de cenas feitas em locais diferentes, dando a ilusão que o ato se passa em um lugar, mas na realidade foi filmado em outro, ou em vários outros. O fato é que não há informação suficiente no filme para identificar o apartamento de Amélie. Ele aparece da vista do exterior somente de um ângulo que deve ser de fundo: onde há um pequeno telhado que o gato anda abaixo da janela. Em outra cena, quando Amélie olha pela janela e vê Nino em frente ao mercadinho, o ângulo mostrado é o da visão da Amélie, não mostra o do Nino, que seria o prédio. O que percebe-se nessa cena é que o apartamento fica em frente ao mercadinho, um pouco à direita (para quem está dentro do prédio).

mercadinho ap em frente

Mercadinho

Au Marché de la Butte / Maison Collignon

Localizado no nº 56 da Rue des Trois Frères

Realmente está lá, quase exatamente como no filme. O local está decorado com algumas fotos e menções à Amélie. É uma visita rápida, não há o que fazer no local. Mas como fica muito perto do local de trabalho de Amélie, porque não fazer uma visita.

Trabalho de Amélie

Café des Deux Moulins

Localizado no nº 15 da Rue Lepic

A cafeteria onde Amélie trabalha e muitas das cenas se passam está quase que do mesmo jeito que aparece no filme. Obviamente o lugar deve ter sofrido algumas reformas com o passar dos anos, mas poucas coisas mudaram. A diferença gritante é a inexistência da tabacaria da personagem Georgette, que foi substituída por mesas para clientes. O vidro / quadro onde Amélie escreve o cardápio também não se encontra lá. O relógio e o ventilador no teto, o balcão e todo o layout do local parecem ser os mesmos. Duas coisas que foram acrescentadas é um cartaz do filme em um dos cantos e uma pequena cabine perto dos toaletes com alguns objetos que os funcionários garantem que fizeram parte do filme, inclusive o abajur do quarto do apartamento da Amélie, as famosas fotos do gnomo e um gnomo, que não é o do filme.

Como o ponto tem sido explorado com a fama do filme, ele não poderia deixar de oferecer a sobremesa de Amélie, o crème brûlée. Os fãs divertem-se muito ao imitar Amélie quebrando o açúcar cristalizado por cima do doce. O lugar é merecedor de uma visita.

Pontos turísticos

Os pontos turísticos famosos que aparecem em Amélie são: Catedral de Notre Dame, Basilique du Sacre Coeur de Montparnasse, Ponte Bir-Hakeim e Ponte des Arts, além de outros não tão famosos: Canal Saint-Martin, túnel perto da ponte de L’Alma, Praça Denfert Rochereau, Rue Saint-Vincent e Aqueduto de Arcueil e Cachan.

 

A Catedral de Notre Dame fica localizada bem no centro de Paris (citada no filme), muito próxima dela fica a Ponte des Arts (lugar onde Amélie passeia logo após seu encontro com Dominique Bretodeau). Ela aparece em três ângulos diferentes, seguindo Amélie atravessando a ponte: vindo da direção do Institut de France, no meio da ponte mostrando o Rio Sena e indo em direção ao Louvre.

A Basílica du Sacré Cœur de Montparnasse é onde Amélie faz umas setas no chão para Nino encontrar uma luneta no topo. O trajeto percorrido por Nino é o da esquerda para quem está subindo até a Catedral. A luneta não tem mais o formado que aparece no filme e as cabines telefônicas foram removidas, mas o carrossel está no mesmo local.

A Ponte Bir-Hakeim e o leão da Praça Denfert Rochereau aparecem rapidamente em cenas em que Nino passa de mobylette pelos locais. A Ponte fica muito perto da Torre Eiffel e a Praça fica perto das Catacumbas de Paris. A Ponte é maravilhosa e vale à pena ser explorada. A Praça é basicamente o monumento do leão.

O Canal Saint-Martin é onde Amélie fica lançando pedras na água. Ele aparece em duas ocasiões no filme: uma durante o dia e outra à noite. De dia, Amelia é mostrada em cima de uma pequena ponte de metal, que já até aparece no Google Maps como “Pont d’Ameli  47 Quai de Valmy”. Esta ponte tem o acesso ao público proibido, mas ela pode ser vista de vários ângulos e bem de perto sem a necessidade de subir nela. De modo geral o lugar é muito bonito e tranquilo, por isso bem frequentado por moradores e turistas. Em poucos minutos lá observar-se um bom fluxo de gente procurando pela ponte de Amélie.

Um pequeno trecho da Rua Saint-Vincent em Montmartre é mostrado ligeiramente quando Amélie e Nino estão passeando de mobylette. O lugar não passa daquilo visto no filme, que é simples, mas é bonito, e como está bem perto de Sacré Cœur, vale à pena ver com os próprios olhos e tirar umas fotos bonitas.

O túnel próximo à Ponte de L’Alma é mostrado rapidamente na televisão, logo antes de Amélie desligá-la. A reportagem que estava passando é o acidente de carro que levou a  Princesa Diane à morte. Como é perto da Torre Eiffel e um ponto turístico bastante visitado por causa do Monumento Flamme de la Liberté em cima do túnel, vale à pena uma visita.

Em sua busca por Dominique Bretodeau, Amélie visita um casal que mora numa casa de nº 6, abaixo de algo que parece ser uma ponte. Na realidade trata-se do Aqueduto de Arcueil e Cachan. A casa está localizada na rua du Chemin-de-Fer. Pela rua se vê somente o muro, um pedaço da casa sobre o muro e o colossal aqueduto no fundo. Este sim, vale a visita ao local, o que é muito fácil. Basta pegar o metro B em direção sul e descer em Arcuel-Cachan (a uns 15 minutos de Paris). Saia da estação pelo mesmo lado que desceu do trem e vá em direção ao aqueduto, que já é visto. Se desejar ver a casa, ela está a poucos metros à direita.

aqueduto

Amélie e Dominique Bretodeau aparecem em dois lugares da rua Mouffetard.

O Primeiro é a cena em que Dominique encontra a lata na cabine telefônica, que não existe mais, mas o local exato fica em frente ao número 138 (no filme “Octave”, atualmente “Compagnie des Glaces”) e a igreja Saint Médard. No filme os sinos da igreja tocavam incessantemente, e o interessante é que cheguei ao local perto de meio dia e presenciei muitas badaladas.

Pouco depois, no número 118, um pequeno restaurante chamado Le Verre à Pied, que infelizmente não pude conhecer por dentro porque estava fechado por causa de período de férias. (É! É comum estabelecimentos fecharem para férias na França…)

Acho que essas duas locações foram as mais decepcionantes porque o lugar bonito e cheio de vida que aparece no filme não foi testemunhado, não só porque a igreja está em reforma e moradores de ruas ficam lá perto. Onde supostamente estava a cabine de telefone, agora ficam mesas para clientes dos estabelecimentos próximos. Se não tiver muito tempo em Paris, eu descartaria esse passeio.

 

Depois de algumas decepções a razão falou mais alto e a busca foi cessada.

 

A casa dos pais de Amélie:

O primeiro cenário que aparece no filme é a casa dos pais de Amélie. Por muito tempo relutei em procurar a casa, queria muito ver se o gnomo ainda está lá, o que não seria difícil porque a casa é cercada, e não murada. Mas afinal de contas é uma casa (e não um ponto turístico) e provavelmente pessoas devem habitar lá e incomodar pessoas não me agrada. Contudo, a procurei via Google Maps, e a vi no street view: ela fica no número 63 da rue des Callais – Eaubonne, bem próxima à estação Gare d’Ermont – Eaubonne. Dá pra ver que é a mesma casa do filme.

casa pai (2) do filme

Um lugar que deve ser lá perto é o parque onde a mãe de Amélie lança o peixinho da menina. Este aqui descartei só para não cair na tentação de ir até a casa… Afinal de contas, a cena do peixinho é muito bonita, triste também, mas bonita.

Outros três lugares que aparecem no filme e que estavam na minha lista são: o parque de diversão e a loja onde Nino trabalha e o cinema aonde Amélie vai.

Sites na internet afirmam que o parque de diversão é o La Foire du Trône, a loja é a antiga Palace Video, agora um sexy shop (número 37 da Boulevard de Clichy) e o cinema é o Cinéma Studio 28 (número 10 da Rue Tholozé). Mas como não conferi porque os lugares não parecem propiciar prazer ao encontrá-los, e como disse que achei muitas informações incorretas sobre o filme na internet, eu tomaria cuidado com eles, apesar dos dois últimos serem muito próximos a outros locais do filme, como Café des Deux Moulins e mercadinho.

Resumindo, foi muito prazeroso ir aos locais que aparece no Fabulo Destino de Amélie Poulain, mesmo que alguns deles não sejam tão interessantes na vida real como foi mostrado no filme e mesmo que tenha gastado mais tempo que eu esperava.

 

No mais, se desejar uma lembrança da Amélie, fica a dica da caixinha de música com a “Valse d’Amélie”, muito fácil de encontrar nas lojas de souvenirs.

caixinha de musica

 

Talvez você também goste de:

Missão Impossível Efeito Fallout: Paris e porque esse filme marca história

 

E:

Anúncios

Publicado por amorecosnazoropa

Marzo Jr & Alexsandra, conhecidos carinhosamente pelos amigos e familiares como os "Amorecos", registram o dia a dia na França / Zoropa.

Se junte à conversa

5 comentários

  1. melhor post e mais completo! ameeeei!
    caí aqui procurando sobre o aqueduto mesmo, que não é mencionado em mais lugar nenhum!
    obrigada!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: