Paris: como economizar com comida

Finalmente! O quarto e último post da série de 4 artigos sobre o que eu desejaria já estar sabendo ao chegar na França.

Lembrando que apesar de parecer ser uma lista pessoal, ela pode ser útil para aqueles que vêm para ficar ou passear por aqui.

O primeiro tópico foi Paris: Generalidades – o que é bom saber antes de embarcar.

O segundo foi Paris: gratuidade, preços e como esticar o dinheiro e o tempo

O terceiro foi Paris: transporte – como se deslocar sem medo

 

Sem mais delongas, vamos para o post de hoje:

Paris: como economizar com comida

Paris é mundialmente conhecida por sua gastronomia requintada, restaurantes famosos e grandes chefes.

Contudo, de modo geral, a comida francesa é muito boa, feita com ingredientes de boa qualidade, e tem variedades de preços para “quase” todos os bolsos. “Quase” porque aqueles do tipo que contam moedinhas podem ficar estressados muito rápido em viagens, principalmente em viagens internacionais, principalmente com a Real tão desvalorizado e principalmente em Paris…

Obviamente não há como não gastar com comida em qualquer viagem, mas em Paris o dinheiro reservado para o alimento pode esgotar-se muito rapidamente porque os preços não são baixos.

E ainda, sempre tem aquele apelo de estar de férias… em um lugar diferente… querer experimentar as comidas típicas ou qualquer coisa nunca vista; estar muito quente e querer algo gelado para refrescar, ou estar muito frio e querer algo para esquentar… aproveitar que vinho e queijo na França são baratos…

Resumindo, o padrão de preços por aqui segue, mais ou menos, a ordem do maior para o mais baixo:

1º restaurantes

2º cafés

3º barracas e quiosques

4º mercadinhos

5º supermercados

E afastou um pouco dos pontos turísticos, fica um pouco mais barato também. Mas com isso em mente, a diferença gritante fica mesmo somente nos restaurantes, variando muito pouco para os demais estabelecimentos.

O bom é que os preços ficam afixados do lado de fora dos restaurantes, cafés e lanchonetes. Não precisa entrar para conferir o cardápio e os preços.

Vamos esclarecer aqui de uma vez que restaurante e cafés podem não ter uma classificação muito rígida, uma vez que pode ter refeição ou croissant, talvez até sanduíche, em qualquer um deles.

Assim, vamos a algumas ponderações mais específicas…

Primeiramente, o que se deve ter em mente é que não há selfie service na França. Ou seja, não há como por pouca comida no prato e pagar proporcional ao que está comendo. O mais próximo que ocorre disso são alguns estabelecimentos tipo bandejões, onde o cliente escolhe entre as variedades de porções que já estão ali prontas. Na área de alimentação do Louvre, abaixo da grande pirâmide, tem um restaurante assim. Dos restaurantes, esses costumam ser os mais em conta.

Já que mencionamos o Louvre, vamos falar da comida de lá: não precisa ficar intimidado! Têm opções de preços dentro da média na área de alimentação e em uma lanchonete no terraço, mas restaurante (ou café) propriamente dito dentro das instalações do Museu são somente dois, e um deles é o famoso Angelina que costuma ter celebridades internacionais por lá de vez enquanto, então, prepare o bolso. É muito comum as pessoas levarem seus lanches para comê-los em algum banco debaixo da grande pirâmide. Também, há cartazes dizendo que entrada de líquido é proibida, mas todos entram com garrafa de água e até sucos.

Uma refeição individual contendo uma porção de carne, um pouco de salada e fritas em restaurantes parisienses podem ser encontradas por menos de 15 Euros com um pouco de paciência. A rede Hippopotamus tem pelo menos uma opção de prato mais em conta para os dias da semana.

As redes de fast food tem um público garantido por ofertar produtos variados, inclusive saladas, bem mais baratos. Na França pode-se comprar um sanduíche pequeno por alguns Euros no McDonald’s. Não é como no Brasil que fast food é artigo de luxo e que pode sair bem mais caro que uma refeição em restaurante.

Já e as redes de cafés tipo Starbucks costumam ter um preço dentro da média de qualquer cafeteria. Mas as lanchonetes dentro do complexo da Disney Paris têm preços mais elevados que os estabelecimentos similares de outros lugares.

Por isso é muito comum as pessoas levarem seus lanches para a Disney e comê-los sem vergonha nenhuma, sentados em qualquer lugar, ou em pé em uma das muitas filas para uma das atrações.

Como em qualquer lugar do mundo, a melhor opção para comer com um pouco mais de qualidade e pagando bem mais barato são os supermercados e mercadinhos. Eles contam com uma grande variedade de saladas, sanduiches e comidas prontas e completas, e muitas vezes disponibilizam um micro-ondas para uso do cliente.

Muitos hotéis também ofertam micro-ondas nos quartos ou numa área comum para os hóspedes.

Quem opta por Airbnb costuma já pegar alojamento com cozinha funcional, facilitando imensamente o preparo de alguma refeição.

A comida pronta de supermercado pode ser industrializada ou de fabricação própria. De modo geral, ambas costumam ser boas, mas os Amorecos optam pela segunda por ser mais caseira e mais saborosa. Nessa linha, pode-se encontrar até uma carne assada bem gostosa em uma boa temperatura para ser comida de imediato.

Em dias específicos há algumas feiras de rua, como a super famosa Marché Bastille na Praça da Bastilha, com boa variedade de comida pronta, frutas, queijos e muito mais. Essa opção pode não agradar alguns mais exigentes, mas vale muito à pena ser conferida. Ressaltamos que os Amorecos nunca tiveram nenhum problema com alimentos comprados nos “marches”, muito pelo contrário! Sempre foram experiências gourmets deliciosamente prazerosas.

Amorecos na Zoropa

linguiça deliciosa e quentinha na feirinha de rua

Em Paris é costume as pessoas sentarem nos lugares públicos para comer algo. Não tenha receio de fazer o mesmo! Não é gafe. Pelo contrário! Virou até “dever” ou “é chique” fazer um lanche à margem do Rio Sena, ou só tomar um vinho. Supermercados até vendem taças plásticas e vinhos com tampa com rosca.

Nesse espírito, Paris também é repleta de áreas verdes que propiciam o piquenique.

E em toda área verde que os Amorecos encontram em Paris, havia pelo menos uma fonte de água potável!

Também há fontes diversas por quase toda a Cidade. Se andar um pouco em qualquer direção, com certeza encontrará uma delas. Assim sendo, sempre ande com sua garrafinha e economize o dinheiro que gastaria com água.

Também, a água potável é gratuita na França! Os restaurantes a servem em garrafas de vidro quando solicitado. Por outro lado, a água mineral é bem cara.

Para quem gosta de fazer refeição propriamente dita, com pratos completos, tem que prestar atenção nos horários porque muitos restaurantes não servem tudo que está no próprio menu durante todo o dia e noite, tendo horários programados.

Amorecos na Zoropa

13,90 Euros: Sanduíche, batata, salada e molho.

Porém, como em qualquer viagem, se não ficar bastante esperto, o maior dispêndio de dinheiro pode ser feito com as “besteiras”…

As máquinas de autoatendimento que guloseimas industrializadas e bebidas açucaradas estão maciçamente ocupando muito espaço nas estações do metro.

Para piorar, a França é conhecida pela variedade das sobremesas. Os macarons coloridos e chamativos (foto do título) têm lojas próprias ou espaço garantido em todas as vitrines. Lojas lotadas de doces bonitos destacam-se em cada esquina. Sorvetes são muito populares tanto no verão quando no inverno.

E as bebidas não ficam à trás: suco, refrigerante, café, chá… um chocolate quente minúsculo não sai por menos de 3 Euros. Um suco de garrafinha passa de 4 Euros no quiosque perto do Louvre.

Amorecos na Zoropa

Vitrine da máquina de auto atendimento.

Não que o preço varie muito dos pontos turísticos para outros pontos, é que o preço normalmente não é baixo. Obviamente há lugares com preços muito mais elevados que outros.

Também aqui entra a dica do supermercado, onde esses produtos são bem mais em conta. Lembrando que o “supérfluo” não é tão taxado na França como é no Brasil, e assim dá para achar uns preços bem bacanas. Se for fazer a conversão, muitos deles saem muito mais barato que no Brasil: Nutella, chocolates Lindt… e o grande queridinho dos Amorecos: chantilly! Por menos de 2 Euros compra-se uma lata de chantilly… O que no Brasil sairia por mais de 20 Reais. Quem precisa de ir à uma cafeteria!?

Quando os Amorecos têm que comer na rua, quase sempre eles optam por uma refeição ou um sanduíche kebab, por ter uma boa porção de carne e uma de salada, e saí por uns 6-8 Euros.

Lembrando que a mão de obra na Europa é muito mais cara que no Brasil, e que por causa disso muitos estabelecimentos trabalham com o mínimo de funcionários e pode acontecer de um hotel não ter serviço de quarto. Então, para contornar isso e não ser pego à noite desprevenido, além de alguns petiscos, ter chá, café solúvel, leite em pó ou cappuccino pode ser uma boa ideia, uma vez que sempre há água quente nas torneiras, e água de torneira na França é potável.

Só para fechar este tópico, para quem é fã da Amelie Poulain e quiser ir ao café onde foram gravadas as cenas do filme, o Café des 2 Moulins, para ter o prazer de quebrar a casquinha de um , pagará 7,50 Euros.

Aqui segue um link para o cardápio do Le Procope, o restaurante mais antigo de Paris:

https://www.procope.com/menus-carte/

Basicamente aqui acaba o post.

***

O que segue agora é pessoal dos Amorecos e muitas pessoas acham radical demais…

Amorecos gostam de comida de verdade, e assim, de modo geral, fogem de produtos industrializados e evitam ao máximo de ficar comendo produtos processados, até mesmo tortas e pães, até mesmo os oferecidos (gratuitamente) nos hotéis.

Também, evitam de comer comida feita fora de casa, para evitar os óleos de soja e sei lá mais o quê…

Ainda, não gostam de ficar extrapolando nas viagens porque o corpo reclama e acaba-se tendo baixa de disposição no mínimo! Comprometendo o desempenho e os passeios…

Então, nas viagens, o que os Amorecos têm feito e tem se mostrado ser decisões acertadas é andar com nozes, castanhas, macadâmias, e optar por salmão defumado, presunto, salaminho, ou algo similar, como porção de carne; saladas prontas, de preferência com ovo, presunto ou frango; frutas como sobremesa. E como bebida somente água.

Sim é possível!

Exemplo de coisas feitas pelos Amorecos em hotel ou Airbnb:

Exemplo de coisas compradas no supermercado:

Exemplo de coisas compradas em feiras (ou marché):

Assim, os Amorecos esperam que tenham ajudado de alguma forma.

Beijos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s